Trabalho numa escola municipal de ensino médio em São Paulo. E nesta escola, temos um fato diferenciado: as turmas contam com uma grande comunidade de alunos surdos. Muitos dos quais, após freqüentar o ensino fundamental inteiro em escolas bilíngües (escolas só de surdos, nas quais a língua principal é a libras e o português escrito é a segunda língua), ingressam no ensino regular para realizar os anos finais da formação escolar. Por isso, pode-se dizer que esta instituição se enquadra na categoria das escolas inclusivas. Esse fato muda toda a dinâmica de aprendizado dos alunos surdos, afinal existe uma mudança radical na relação com a língua. O português se torna a língua majoritária, sempre mediado pela libras, através da ação dos intérpretes. Além disso, dentro da sala de aula, os alunos surdos interagem cotidianamente com alunos ouvintes, o que possibilita situações de troca de experiência e de vivência com a alteridade (para ambos os lados). É bastante comum que alunos ouvintes aprendam e ganhem uma ótima fluência em libras, assim como os surdos encontrem formas de se comunicar e interagir com os ouvintes. Isso tudo, porém, só é possível graças à mediação dos intérpretes. Felizmente, temos intérpretes em todas as salas que contam com alunos surdos matriculados. Essa situação, entretanto, não é a regra em muitos outros locais de ensino. Não é raro que o aluno surdo encontre-se desprovido desse profissional, que garante um canal de comunicação e de tradução da aula para a língua primeira do surdo. Sem esta garantia, o aluno surdo corre o risco de permanecer isolado dentro da sala de aula e impossibilitado de acompanhar plenamente a atividade do professor. E não é apenas na sala de aula que isso acontece. Um dos exemplos mais claros dessa ausência de preocupação com os surdos é a situação dos filmes nacionais. Existe uma vergonhosa tendência de nunca incluir, nesses filmes, legendas em português. Estas, na realidade, são soluções parciais, pois o melhor mesmo seria legendas para surdos (que incluiriam indicações escritas que apresentam elementos que um ouvinte poderia simplesmente escutar, como uma risada, um choro, um grito, etc.) ou mesmo um sistema de tradução para libras no canto da tela. Nada disso existe e raramente encontramos filmes nacionais, lançados em dvds, com qualquer tipo de legenda. Na televisão também é comum a inexistência desse sistema. As dificuldades na sala de aula e na relação com a cultura audiovisual se somam com outras, como a ida ao médico ou mesmo a relação familiar de filhos surdos e pais ouvintes. É por isso que existe uma forte mobilização da comunidade surda para exigir mudanças nesses aspectos, buscando a criação de uma legislação que garanta o atendimento dessas demandas comunicativas. Nesse sentido, esse semestre tive a oportunidade de realizar um pequeno trabalho com meus alunos surdos a respeito dessa questão e da importância da libras para a comunicação e manifestação do surdo. O resultado desse trabalho foi apresentado na feira cultural da escola na forma de um pequeno vídeo. Chamado de Meu coração é por surdo, o filme relata um pouco das situações cotidianas vivenciadas pelos surdos. Tudo no filme foi elaborado pelos alunos: a proposta, o roteiro, os atores, a montagem, a legendagem e os preparativos finais. Colaborei apenas com uma parte das filmagens e também tivemos o apoio dos intérpretes da escola. Além dos alunos surdos, alguns alunos ouvintes também se envolveram na realização do filme e participaram das filmagens. O trabalho foi feito num tempo muito curto, tivemos apenas dois dias de preparativo, ensaio e filmagem dentro da escola. O resultado pode ser visto abaixo e é uma boa forma de conhecer um pouco melhor a cultura e as demandas dos surdos. 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

3 Comments to “Meu coração é por surdo, vídeo dos alunos da EMEFM Vereador Antonio Sampaio”

  1. Cibelle disse:

    PARABÉNS!!!! PARABÉNS!!! PARABÉNS!!! Considere milhões de PARABÉNS!!!

    Meu coração é por vocês!!!

    O vídeo ficou ótimo! Adorei!!!

    Seu texto maravilhoso! Perfeito!!!

    • Leandro disse:

      Obrigado Cibelle. Fico feliz em saber que gostou. Sentimos sua falta lá na escola, teria sido ótimo se você estivesse lá para nos ajudar. Venha nos visitar quando puder. Um grande abraço :)

  2. antonio Abreu disse:

    Bem vindo visitar site
    Abraço
    antonio

Leave a Reply

*

*

Notifique-me de novos comentários via e-mail. Você também pode se inscrever sem comentar.